sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Restauração




Esse tempo não é meu
A ampulheta se gastou
Tanta areia corroeu
Até o amor que restou

Fora do tempo tu nasceu
Homem que abusou
De tanta colheita que roeu
Até do amor que ceifou

Eu me procuro e não me encontro
No espelho uma imagem distorcida
De um alguém que não sou eu
Neste lugar que não é o meu

Faço uma reflexão
Busco em mim o que restou
Uma recata do que não falhou
Um novo e mesmo ser nasce então...

Da plantação de que me fiz
Do valor que te formou
Refogo em miscelânia de sabores
Que mostrará quem sou e onde estou



Léo Messias (belbo..) & Anorkinda Luz

Um comentário:

ANORKINDA disse...

deixaste o beldo
hhahuha
qd estiveres beldo de novo, me chama pra parceria...só não seguro o balde
:P