quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Incomun...



Me desculpe caro amigo

Mas eu sou poeta

Só não sei como em mim nasceu isto

Apenas vejo poesia em tudo que meus olhos alcançam

Seja na inocência de uma criança

Ou na guerra por conta da ganância...


Me desculpe caro amigo

Mas este espírito chamado poesia

Foi formando em mim uma alegria

Alegria de ver o lindo em tudo

Até nas coisas mais feias deste mundo...


Me desculpe aos que mais aprofundados são

Se por vezes eu fujo da métrica

Ou quem sabe de outra razão

Mas nem tudo pra ser lindo necessita rima

E por vezes até mesmo a rima

Destorce o que entendemos por emoção...


Me desculpe caro amigo

Mas talvez seja por conta deste meu coração mole

Que um dia me ensinou a pedir e doar perdão

Ou estes olhos cansados que resistem em acreditar

Que mesmo no que seja ruim há seu lado bom...


Me desculpe caro amigo

Mas tudo nesta vida me inspira

Seja a lua enorme que brilha

Ou a dor da solidão

E a poesia em muito me anima

E me faz mais forte do que eu era até então...


Me desculpe caro amigo

Mas nem sempre uso palavras difíceis

Pois por vezes preciso ser simples

Para expressar o que deseja meu pobre coração...


Me desculpe caro amigo

Mas ainda que escrevesse um livro

E fizesse isto como meta

Jamais conseguiria lhe fazer entender

O que realmente se passa no coração

De um poeta...


.

Durante seu sono...




É quando tu deitas a cabeça
Sobre meu peito
E dorme um sono profundo
Fico em silencio
Como a uma nuvem no meio do mundo...

Lembrando do que já vivemos
Sonhando com o que ainda
Para nós não veio...

E enquanto contemplo seu corpo
Sobre o meu repousando
Ouvindo seus profundos suspiros
Fantasias aspiro...

Confesso sentir um certo medo
Mas quem sabe seja isto que me encoraja
E quem sabe seja esta mesma vida
Que hora amarga e noutra nos agrada...

Quem sabe ´aquele´ que tudo vê e tudo sabe
Nos permitiu seja por um ato de compaixão
A abraçarmos tal missão de sermos um com o outro
Hora tesouro, hora guardião...

E enquanto tu em meus braços ainda dorme
Lhe faço meus carinhos
e sigo sonhando acordado contigo ainda
dormindo...

e a cada dia lhe amo mais...


.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Inquilina indesejada...



Uma pomba resolveu fazer um ninho na sacada de nosso apertamento ( sim apertamento, pois aqui no Japão moramos em verdadeiros apeeeeeeertamentos... )
Na verdade é reincidência, ela já foi expulsa no verão passado, foi colocado uma tela protetora, mas com certas falhas que passariam um avestruz quanto mais uma pomba, e em fim ela voltou, fez o ninho bem no canto, entre um chinelo Crocs e uma pá de lixo. Deia minha namorada não gostou de seu retorno e me incumbiu de expulsá-la, talvez porque isto seja trabalho de homem, ora e eu pergunto, a onde está o feminismo numa hora destas ?
Bom, elas mandam e nós fazemos, assim caminha a humanidade...
Segunda de manha, primeira tentativa:
acordo e já lembro de minha tarefa, e lá vou eu, abro a porta que da para a sacada, olho para um lado, para o outro, e sigo rumo até o ninho, a pomba está lá chocando dois ovinhos, eu olho, chego mais perto e ela treme, faz um ruído fraco, como que se estivesse pedindo aos deuses que eu não a machuque, eu retorno um pouco, mas volto, e ela faz novamente o ruído, eu me compadeço, entro, sento, e sozinho fico pensando na maldade que estou por fazer, a coitada veio aqui, teve um trabalhão de tecer um ninho, botou seus ovinhos, e me olha com a mais cara de dó que um ser pode ter, e em fim me faltou coragem. Pego um livro, tento ler, lembro da minha missão, volto lá e por mais duas vezes desisto.
Quando Deia chega a tarde, digo que não tive coragem, ela ri mas por dentro deveria estar me achando um mole.
Terça de manhã, segunda tentativa :
foi exatamente igual a primeira...
Passo a noite me preparando...
Oras, tanto lugar para ela fazer este bendito ninho e tinha que ser logo na nossa sacada ? e outra, pombos trazem doenças, cagam por onde andam e logo a sacada inteira estaria cheia de merda, pai, mãe e filhos tudo cagando em um espaço que não passa de dois metros.
Quarta de manhã :
Chego em casa e vou para a sacada na esperança de ter acontecido algo e ela ter partido por livre e espontânea vontade, puro engano, é claro que ela está lá chocando seus ovos, olho para ela e digo, não adianta pedir, não venha atacar meu emocional, ou eu lhe tiro daqui ou é eu que serei jogado pela sacada... ela olha para mim, agora com cara de raiva e não mais de piedade, e pensa tão alto que eu posso ouvir ´ seu merda...´ e levanta vôo passando por mim e me encharcando com a água da chuva que acabara de tomar, passa pela fresta da tela e pousa no prédio em frente ao nosso.
Enquanto faço uma gambiarra para fechar a fresta da tela presencio uma mãe desesperada, que anda pra lá e pra cá, que vem em vôos rasantes em minha direção e pousa no beiral da sacada implorando para entrar, eu a expulso, ela volta ao prédio em frente e agora já acompanhada de um outro pombo, talvez seja o pai...
termino meu serviço, volto para dentro, me deito no chão e fico lembrando de como era muito mais fácil matar passarinhos quando era criança...

.

sábado, 7 de agosto de 2010



No fim das contas eu sou um monte de coisa nenhuma...

A cor mais forte do amor...


Ainda que este cinza

Tente nos vencer

Em vão é sua luta

Pois somos feitos de cores fortes

Somos o manancial de nosso amor

E irradiamos esta energia

Desatando os nós trazidos pela vida

Há algo em nossa áurea que me inspira

A não desistir desta tumultuada e

Abençoada vida

Ao seu lado...


.

Hiroshima, Nagasaki e Tio San...

Eu queria entender uma coisa...

Ontem fez 65 anos que o Japão relembra a explosão da bomba de Hiroshima, isto é a maior catástrofe nuclear realizada até hoje.

Era o fim da segunda guerra mundial, o Japão já estava vencido, invadido pelos americanos e sem alguma chance real de vencer a tal guerra, alguns aviadores japoneses apelidados de kamikazes se jogam sobre os cargueiros americanos, mas os gringos não engoliam mesmo o ataque japonês a base de Pearl Harbor, e para revidar tudo isto, alem de já estarem com quase tudo sobre controle, lançaram uma bomba atômica sobre duas cidades habitadas por civis que pouco ou nada tinha haver com a guerra, matando de imediato mais de 140.000 pessoas fora os que foram morrendo meses e anos depois por conta da radiação...

E hoje não raramente se vê uma grande apologia aos Estados Unidos por onde se passa aqui no Japão, os japoneses realmente idolatram um país que devastou seu povo, eles realmente se prostam diante dos americanos e seus fast food´s, certa vez um japonês me falou que são gratos aos americanos porque estes ajudaram a reerguer o país, e sem esta ajuda o Japão não seria o que é hoje, para mim esta é a mais pura história ao modo ´boi ta-ta ´ , o fato é que os caras vieram aqui, explodiram o país, mataram milhares de pessoas e depois investiram em um país para ser um dos ou o seu maior lucro empresarial fora de casa, fazem o Japão de um verdadeiro fantoche e estes ainda são gratos ???

O que mais me indaga é como os japoneses famosos por serem nativistas se deixam passarem por tal vergonha aos olhos de todo planeta depois de sofrerem tamanha catástrofe.

Me considero um pacifista, concordo e aprovo o perdão por parte dos japoneses, mas daí ficar babando ovo pelos gringos depois de tudo isto é realmente fora de uma análise racional...




sobrevivente da bomba de Hiroshima...



segunda-feira, 28 de junho de 2010

Aurora...




Do Sol extrai um raio de tinta

para iluminar a noite do resto de meu dia

E com a lua me fiz magia

por toda formosura que esta aspira...



Encontrei em um sopro de vento

o mergulho na imensidão de uma brisa

e o sol se fez forte em minha pele

tão frágil quanto a um falho rastro de trovão...


E o dia que se apressava em chegar

me fazia virar a favor do mar

com os olhos fechados

atados pela imaginação

podemos ver a cor do som

e tocar o que a vista esconde...


É quando o surreal se torna parte da alma

e se faz então da nossa vida agitada

mais calma...


.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

A literartura está viuva...


Saramago juntou os pés e a literatura está viuva novamente...
O primeiro livro que li deste escritor, foi por um acaso, um susto e uma paixão, foi em uma época em que eu estava mergulhado nos estudos acerca da Teologia e Doutrina Católica, peguei alguns livros emprestados e ´O Evangelho segundo Jesus Cristo ´ estava no meio, foi um susto ler o que pensa um ateu sobre Jesus, mas fiquei deslumbrado pela forma agarradora e o respeito literário com que ele escreve, fui em busca de outros livros e cada vez mais o respeitei como escritor.
Saramago não tem a realeza de Dostoievski e nem o charme de Bukowski , porem é literalmente polido, e em minha singela e leiga opinião o melhor escritor até então vivo, muito além destes romancistas pops que vemos por ai em mãos alheia.
Não vai demorar muito e será a versão masculina de Clarice Lispeictor nos perfis do Orkut, onde veremos aos esbanjos suas frases e pensamentos, e na maioria de pessoas que se quer já leu uma de suas obras, que normalmente colam a esmo via Google ou roubam de um outro perfil qualquer só porque achou bonitinho, simplesmente porque postar frase de um intelectual é chique.
Saramago viveu exatamente a vida de um grande escritor, foi obrigado a abandonar os estudos secundários aos doze anos, apaixonado pela leitura escreveu, passou duas décadas na caverna da escuridão sem inspiração e voltou para mostrar ao mundo ao que veio.
Seu livro mais famoso, ´Ensaio sobre a cegueira ´que virou filme eu não assisti mais que quinze minutos, pois ali na tela não me mostrava nem 10% do que o livro fez realizar em minha mente.
Foi reconhecido em vida, ganhou vários grandes premios e entre eles o Nobel, mas sua fama popular começará agora, pois assim tem sido ao longo da história literária deste mundo pseudo cultural.
e para dizer que também desejo ser um pseudo intelectual, fica aqui uma frase que acompanha esta minha mente insana...
´Dentro de nós há uma coisa que não tem nome, esta coisa somos nós...´
José de Souza Saramago, 16/11/1922 - por todos os tempos...
.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

datas...




Gostaria de entender

como se mede o espaço de tempo

do amor

pois ora eu o vejo

por conta da paixão como se estivéssemos

acabado de nos conhecer

e em outra, me parece que já percorremos uma vida toda

por conta das afinidades que temos em comum

e então me pego a me perguntar

para que afinal servem as datas ?

para renovar ? para avivar ?

se buscamos isto em todos os dias

e em todos os momentos...

e então eu vejo estas datas como mais uma opção de alerta

do quanto ainda cabe em mim amor por ti...


feliz dois meses...

já ou ainda ? rs...


amo-te a cada respiração mais e mais...
.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Rumores de nossos rumos...


Dias atrás estava virtualmente conversando com um amigo e falávamos sobre o rumo do ser humano. Ele um poeta, otimista, Educador etc... espera que o homem um dia olhe para tudo que está a fazer e enxergando seus erros os repare, Eu tentando fugir do rótulo de pessimista mas assim sendo, penso que a maldade humana já não tem mais cura, e ainda há muito a se fazer pra ficar pior, e seguimos firme e forte este caminho. Me da uma baita dor viver em uma época em que os valores se inverteram, ser justo, honesto, romântico, ter caráter etc... ficou démodé, o homem perdeu toda a sua natureza por conta da ganância, da pura vontade de se satisfazer, lembro que há dez anos atrás os noticiários que relatavam atos ilícitos, tais como, roubo, estupro, tráfico, assassinato, bala perdida, corrupção etc... eram o centro do ibope televisivo, hoje tais noticiários já não nos comovem mais, simplesmente porque o mau se normalizou...

Eu me recuso a ter que ensinar meu filho, que sonha em se formar e ter uma profissão, que vai ser preciso mais que um canudo e dom para isto, que ele vai ter que pagar propina para policiais corruptos e milícias para o crime organizado, isto só para ter o direito de ter um comércio aberto, sem falar na corrupção legalizada a qual ´apelidamos´ de impostos...

As vezes caio na besteira de pensar que Deus está atrasado, pois existe uma passagem bíblica que diz que um dos sinais dos fins dos tempos seria que o mundo estaria parecido com Sodoma e Gomorra, ora, estas cidades foram conhecidas por conta da libertinagem e total descontrole social que viviam, seria interessante se fosse a nós permitido pegar um dos cidadãos que habitaram por lá e convidá-lo a viver em um grande centro como o Rio de Janeiro por exemplo, creio que ele voltaria ao tempo e diria aos seus conterrâneos: ´Amigos, temos muito o que aprender com o que vem pelo futuro...´




.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

As suas mãos...


As suas mãos

São elas agora o meu segurar

Nelas me agarro e não solto

Faço de ti meu refugio

Meu aconchego

Meu lar

O mais doce lugar onde posso estar...


Unidos por uma força que transpassa o natural

Uma junção de elementos sobre e pré-ternatural

O amor e o cósmico, a matéria e alma

Tudo entrelaçados em uma única união...


Sim são suas mãos

Agora unidas as minhas

Fazemos nossa história e nossa canção

E tudo se conhece

E tudo se faz crescer

Quando se sente a força de uma ligação

Pelo tato do encontro de duas mãos...

.

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Figurativa....


Dos traços que lhe faço

Das tintas que escolho

Rabisco meus desejos

Em seu corpo...


Das cores que encontro

Das sombras que reluz

Suas curvas em óleo fino

Produz...


De frente para a janela

Um raio de sol

Cria vida e amor

Na tela...


Namoro o seu retrato

Que a pouco fora pintado

Em meu coração

Abstrato....

.

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Entre os lábios...



Por vezes ele é esperado, planejado

Em outras é simplesmente roubado

E quando ele é recíproco

Algo mais forte faz o raciocínio

Perder seu domínio

E o que se sente é simplesmente emoção...


Quando as bocas se juntam

E o desejo sede espaço aos lábios

Que se tocam em ardente paixão

Tudo perde seu sentido

E o mundo em volta é despercebido

Já não há mais tempo nem razão...


O que importa é o momento

A sincronia entre o toque e a respiração

Mas que ofegante respiração

Tão constante quanto ao ritmo do coração

E os mais puros dos beijos

Marca ocasiões...

.

sexta-feira, 16 de abril de 2010

O urânio e o petróleo

Barac Obama se reuniu com lideres de 47 países e sobre a mesa o assunto foi a segurança nuclear, a principal meta foi firmar o acordo com a Ucrânia em desfazer de todo seu estoque de urânio, Viktor Yanolovich presidente da Ucrania disse que até 2012 fará isto,o que é difícil de se crer pois o urânio é o bem ( ou melhor o mau ) mais valioso deste mundo, ele possui em mãos o que qualquer chefe de estado sonha em ter, e Viktor não é Bin Laden, mas está longe de ser Gandhi. Opinião por opinião, penso eu que Obama está fazendo isto para que o pobre Nobel para de puxar seus pesinhos durante seu suave sono... Lulinha esteve lá também, pegando nas mãos e batendo nas costas de todos, e todos são tratados como companheiros, oh... que belos companheiros...

Mas lulinha tem uma particular missão, pois está empregado somente até o fim deste ano e nem pensar em perder a boquinha que está sendo cogitada na ONU...

Enquanto isto no Brasil a política anda agitada por conta da emenda aprovada pela Câmara dos deputados que muda as regras de distribuição dos royalties do petróleo, se aprovada pelo Senado isto dará o direito de igualdade nos lucros aos outros 25 estados além do Rio de Janeiro. No desespero de segurar o que até hoje tem sido seu o governador do Rio, Sergio Cabral chegou ao ponto de dizer que se esta emenda for definitivamente aprovada, o Brasil corre o risco de não sediar a Copa por falta de verba, e ainda completou que até mesmo a grande e rentável festa de carnaval na Sapucaí correria o risco de acabar... ai meu caro Cabral, o senhor arrumaria uma briga com cento e sessenta milhões de brasileiros, porque sem escola, sem comida, sem saúde, sem saneamento básico, e sem muitos outros direitos o o povo até vive, mas sem futebol e samba já é pedir demais...

Há e ainda é ano de eleição, mas depois a gente fala sobre isto, primeiro eu preciso pesquisar a saber quem é essa tal de Dilma (sic...)

sexta-feira, 26 de março de 2010

Crianças no playground e meus sinceros pedidos de desculpas...

Semana de férias escolares, aqui no Japão o fechamento do ano é fim de março, tudo bem mas o que eu tenho haver com isto?

Bom primeiro que o playgroud do prédio onde moro é na janela do meu quarto, segundo que a junção entre esta semana de férias escolares, a energia acumulada das crianças depois de um longo período de inverno e ocasionalmente esta semana eu estar trabalhando de noite...Ai eu te pergunto caro(a) amigo(a) como o Léo que por natureza já sofre de insônia conseguiu dormir esta semana? Simples eu simplesmente me identifico com as crianças, e vendo pela minha janela eles brincarem esbanjando saúde, lembrei-me de minha infância, das travessuras que fiz e os inoportunos que causei há alguns vizinhos...

Por isto gostaria de expor aqui meu pedido de desculpas aos que consegui resgatar em minha mente.

Primeiro a ´Seu Arthur ´ o velho português que morava na esquina da Paes Lemes com a Bastos Cordeiro, que hoje intercedo que Deus o tenha, desculpa pelos ovos que jogava na porta de sua casa, pelas palavras de baixo calão que usava quando discutíamos, pelo dia que pedi para apanhar manga em seu quintal e revoltado com sua recusa fui apanhar as mais podres delas no quintal do velho Erasmo e as esfreguei no seu moribundo Corcel I, pelo crime de seqüestro seguido de homicídio culposo que cometi com seu gato e tantas outras façanhas que não me recordo...

A Geni, que independente de lugar, hora ou ocasião que eu a visse, cantava em alto e bom som aquela musiquinha que vai o seu nome, pelo dia em que correstes atrás de mim e escorregou levando o maior tombo no asfalto quente se esfolando toda e eu ainda tive a atrocidade de voltar para zombar de ti...

A mãe do Edson que o proibia de brincar comigo e dia sim e outro também me expulsava da rua em frente a sua casa, pelo dia em que fiz um risco entre a sua casa e a do vizinho e passei o dia gritando ´aqui pode, aqui pode...´

A mulher da casa nova, que eu arranquei a árvore só pra fazer uma forquilha de estilingue, e sendo dedurado para minha mãe passei a juntar minha pequena turma de pentelhos a jogar bola em frente a sua casa, pois a casa nova era sua, mas a rua é publica, pelas inúmeras boladas que dávamos no seu muro recém pintado e no portão de metal fazendo aquele barulho estrondoso seguido dos nossos sinceros pedidos de desculpas, as milhares de vezes que tocava a campainha só porque falar no inter fone era a coisa mais legal e moderna que existia...

E foram tantos outros que não me lembro. teria que escrever um livro se consegui-se me lembrar de todas as pessoas que apurrinhei durante minha saudável infância...

Agora entendem caros amigos (as) o porque um rapaz que sofre de insônia conseguiu dormir esta semana melhor que as anteriores?

Que as crianças continuem vindo com toda energia que Deus as deu, porque criança arteira é sinal de saúde e eu ainda tenho muito a pagar...

.

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Em mim...



Não sei ao certo

até onde vai a linha

entre o sano e incerto

mas não foges daqui

de dentro de mim...


Pois nos dias só

sua ausência é

a maior presença

lhe ver, lhe tocar

nem que sejas por um tiquim

me sacia a sede...


Eu fecho os olhos e te sinto

entre flechadas e sorrisos

e seu cheiro da sede

aos meus instintos...

.

Então pule...


Só havia mais um rasto de poesia

E a musica já quase não mais se ouvia

Apenas um sopro de uma leve brisa

E que força tudo aquilo tinha

Tão fraca e constante enquanto ardia...


E então se pode ver o lado bom da dor

Enquanto sua sombra me abraçava

Contra a vontade de seu corpo

Ainda cansado de andar em círculos...


Do fim era apenas o meio do precipício

Mas você sabe voar

Quisá fosse o amor o remédio para sua

Dor...

.

sábado, 2 de janeiro de 2010

Por entre passos...




Ainda falta espaço

No compasso de meus passos

Ainda falta hora nos dias

de minha vida

Ainda falta amor para tudo que eu sentia

Ainda falta luz no túnel que eu não via

Ainda falta tanta coisa que não cabe em mim

Ainda falta alimento para minha alma faminta

Ainda falta poesia em minhas linhas...

Mas o que importa se tudo aqui é desabafo

E faço dos meus erros meus passos

E continuo andar nesta estrada

Buscando o que não vejo

Mas sinto

E vou, vou indo....



.