segunda-feira, 28 de junho de 2010

Aurora...




Do Sol extrai um raio de tinta

para iluminar a noite do resto de meu dia

E com a lua me fiz magia

por toda formosura que esta aspira...



Encontrei em um sopro de vento

o mergulho na imensidão de uma brisa

e o sol se fez forte em minha pele

tão frágil quanto a um falho rastro de trovão...


E o dia que se apressava em chegar

me fazia virar a favor do mar

com os olhos fechados

atados pela imaginação

podemos ver a cor do som

e tocar o que a vista esconde...


É quando o surreal se torna parte da alma

e se faz então da nossa vida agitada

mais calma...


.

8 comentários:

MOISÉS POETA disse...

VALEU PELA VISITA EM MEU BLOG , LÉO !
PRAZER E HONRA ESTAR AQUI NO SEU TAMBEM...

GOSTEI DOS SEUS ESCRITOS...

GRANDE ABRAÇO !

Confissões de Magnolia disse...

Que texto maravilhoso *-*
Gostei daqui
beeijo

*** Cris *** disse...

Belo texto, gostei! Gostei daqui também.
Bjs!

Perto de Mim disse...

Profundo...

Eidy disse...

...O dia se apressou e ao mar chegou.
Com a imaginação vendando suas veredas e com a sinestesia presente acalmando nossas agitadas vidas...

Fátima disse...

Que lindo poema, adorei teu quintal.
Grata pela visita, sempre vem vindo

Beijo
Fátima

Ábia Costa disse...

Oi Léo, como estás?
Nossa! que belas palavras, realmente tocantes.

bjus e obrigada pela visita ao Vivendo e Costruindo

Anitha disse...

Gostei muito do seu texto!
=)